Um dos meus Mestres, Eimuntas Nekrosius, disse que retratar em palco a loucura ou uma deficiência, é sempre um grande risco – pode estar alguém no público com o mesmo “problema” e o nosso trabalho pode tornar-se ridículo…
Mas… quem não gosta de riscos? 🙂

Em O Portão, talvez a loucura retratada, seja mais um estado psicossomático ou mesmo um estado de espírito, consequência do efeito dos nossos medos, receios e muros que nos criamos a nós próprios e carregamos anos e anos…  ou ainda daqueles episódios que vincaram a nossa infância…
Aceitarmo-nos como somos, é complicado. Por vezes, saber o que somos, ainda o é mais.

E como gostamos de desafios, lá fomos por aí fora… partindo do texto do Alexandro, para o universo que o Sérgio estava a cocriar. Curiosamente, 23 anos depois do Sérgio começar como actor no teatro, comigo a encenar – o mundo gira mesmo, e agora é ele o encenador – a quem sou grato por me aturar e por tudo e tudo.
Ao nosso lado na caminhada, o fiel escudeiro Edmilson, que também é um bom companheiro de trabalho… e que várias vezes me fez recordar a mim mesmo noutros tempos… Quem nos embala a caminhada é o Renato, dando acordes aos nossos passos. Num dos ensaios, fez-nos a todos entrar em transe, juro!
A Inês que nos vestiu de bonitos e ainda o Pedro, que nos irá fazer brilhar por completo.

Talvez suscetível por tantos exemplos nos palcos e nos ecrans, mas ainda assim, acredito que os estados de loucura têm algo de dança – o cérebro comanda e coordena o corpo – e essa dança, seja ela como for, é uma conexão com mundos, íntimos, alguns desconhecidos, alguns especiais…
Não vou dançar o tango!, mas o personagem que faço, deixasse desengonçadamente levar por um vibrar interior femenino, de desejo, de paixão, de loucura? 

A proposta cénica inclui o público (65 pessoas), juntamente com os actores no palco.
Até vão conseguir cheirar o suor…
Um espectáculo que será uma experiência nova para mim…  pois uma das paredes do espetáculo é uma espécie de vazio infinito…

Por agora, é só no Teatro Municipal da Covilhã, nos dias 8, 9 e 10 Setembro.
O espectáculo tem algo de Samuel Beckett, David Lynch e do Psycho do Hitchcock. 
É um bom regresso a este palco, onde muito tempo já passei.

Eu se fosse a vocês…ia ver 🙂

Bilhetes disponíveis em: https://ticketline.sapo.pt/evento/asta-o-portao-66942

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s