Se o autor da foto a vir, diga sff!

Não é fácil escrever nestes tempos…o mundo mudou tanto e em tão pouco tempo, que me parece que ainda há muita coisa que não só não encaixou, como não encontrou forma de encaixar em nós… o mudou mudou e está a mudar, é como se conduzisse um carro sem travões, o acidente é eminente e nisso se tem tornado a vida… mas como se diz muito agora, os benefícios são maiores do que os prejuízos – algum padrão sobre a morte que me escapa aqui…

A inquietação de interrogar se vale a pena, se precisamos de tanto, de tanta velocidade, de tanta merda que por ai anda… Gosto de ouvir o vento. Sempre disse que ao ouvir o vento, ouvem-se histórias e mensagens de outros tempos e de tempos próximos, mesmo ao nosso lado… Também o vento está diferente, tem muito ruído obtuso… como dizia antes, que há muita coisa a não encaixar, também as historias de outros tempos e dos vizinhos do vento, são elas agora uma amálgama estranha, os desequilíbrios são transversais e pensar que se é o único que não esta equilíbrio e a bater bem da tola, esvai-se num abrir e pisar de olhos. 

Saudades dos tempo da confiança e da partilha, do sorriso e do vinho….a vida mudou tanto que não sei mais onde é que vivo ou até, por vezes, o que é viver… Os dados deixaram de ser nossos…e na perspectiva da culpa, essa é sempre nossa…as liberdades estão muito pouco livres e o controle a entrar por caminhos pouco ou nada controláveis, diria mesmo presos ou escravos… es Cravos de abril.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s