… em Évora chovem guarda-chuvas

As chegadas a Évora já não me vão sabendo a nada… sabe-me sim, sempre bem a amizade…

Mas esta chegada teve chuva e forte, daquelas que nos fazem perceber a força da chuva, da água…. para limpar e lavar, a terra e a nós… qui çá, para abençoar um ou outro que correm para as arcadas do Geraldo, já meio ensopados e chateados.

Mesmo nas caras repetidas que aguentam a cola do mesmo sitio de ano para ano, tendo lajes e pedras da calçada como cativas. Existem outras caras novas… que se não herdaram um lugar, começam a desgastar outras lajes ou outras pedras…

Se há um ano atrás, escrevia aqui mesmo: Nalguns passos que dou, reconheço na sola dos pés algumas pedras que já antes, outros anos , pisei…

Hoje foi mais de cima que me senti daqui, com a água, que me acompanha

A bruxa diz: não há uma, sem duas nem três… Évora outra vez.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s